Joanna Maranhão: vítima no banco dos réus

Nadadora agora é processada pelo ex-técnico Eugênio Miranda, denunciado por ela como o homem que a agrediu sexualmente na infância. Atleta revela o medo que sente ao lembrar da violência que sofreu.

BEATRIZ THIELMANN Recife

var midiaEmbed = { tema: “cinzaEscuro”, imagem: ‘/GMC/foto/0,,20770391-EX,00.jpg’ , banda: ‘TIPO_TXT’ , corFundo : “FFFFFF”, corFonte : “000000”, corLink : “FF00FF”, corBorda : “00FF00”, autoStart: false, midiaId: 1032200 }; var embed = new GMCEmbed(midiaEmbed); embed.print();

Vencer e bater recordes. A história da campeã Joanna Maranhão sempre foi cheia de provas desde quando ela era muito menina. Com 8 anos, Joanna já treinava intensamente nas piscinas do Recife. Foram muitas conquistas, prêmios nacionais e internacionais. Mas, para a campeã, o desafio mais difícil de todos é o mergulho no passado.

“Uma coisa que eu achava que estava adormecida acordou”, diz a atleta.


O pesadelo de Joanna veio à tona: afinal, quem era aquele homem, mestre na piscina, amigo da família dela e acusado de abuso sexual contra a menina? O nome foi revelado pela própria mãe de Joanna, Teresinha Maranhão, no ano passado: “O agressor foi o técnico dela, Eugênio Miranda. Ele treinou Joanna dos 6 aos 9 anos”.

“Eu tinha medo de falar porque as nossas famílias eram muito próximas. Então, eu tinha medo que ninguém acreditasse em mim. Acho que empurrei isso para debaixo do tapete o máximo de tempo que pude. Mas chegou um momento em que não dava mais, quando eu atingi a maturidade”, conta Joanna.

Amadurecendo o sofrimento, ela conversa. “Você tem calafrios, vontade de chorar, medo. Parece que você volta a ser aquela criança de 9 anos de idade. Como que eu vou contar o que aconteceu se eu nem sei direito o que foi? Aos 9 anos, eu não sabia. Eu tinha corpo e mentalidade de criança, brincava de boneca. Hoje, se eu estiver bem comigo mesma, digo que passou e que tenho que olhar para o futuro. Mas se eu estiver um pouquinho deprimida, por qualquer razão, começo a remoer essa situação e isso machuca”, conta Joanna.

Uma dor que ainda pode ser mais forte. De acusadora, Joanna passou à acusada. Pela lei, o abuso sexual na infância e na adolescência tem que ser denunciado até a vítima completar 19 anos. Depois, a Justiça desconsidera o crime. Como Joanna só contou aos 20 anos, foi impedida de processar o técnico. E agora ele é quem está acusando Joanna.

“Tive que olhar para o rosto dele de novo e escutar ele dizer que é inocente. Tive que escutar várias pessoas dizerem que eu estava mentindo. E agora tem um processo nas minhas costas e nas costas da minha mãe. O processo é por injúria, calúnia e difamação. Eu passo por isso aos 9 anos de idade, dou a volta por cima e quando abro o jogo ele diz ser inocente e ainda me processa. É difícil lidar com isso”, desabafa Joanna.

A nadadora Joanna Maranhão se reencontrou nesta segunda-feira com o seu ex-técnico Eugênio Miranda, em audiência de conciliação realizada no Fórum Thomaz de Aquino, em Recife. A atleta afirma que sofreu abuso sexual do treinador quando tinha 9 anos. Na audiência, Joanna chorou ao rever o treinador. Segundo a mãe da nadadora, Terezinha Maranhão, a atleta se emocionou pois “fazia muito tempo que não se encontrava com Miranda”. Veja reportagem em video

O encontro entre o treinador e a atleta durou poucos minutos. Nenhuma da partes quis a conciliação. Agora, eles darão continuidade ao processo com depoimentos, o que deve ocorrer dentro de 30 ou 60 dias. Miranda nega que tenha cometido o abuso e processa Joanna e Teresinha por difamação. Um grupo de pais e alunos do treinador acompanhou do lado de fora o julgamento – eles acreditam na inocência do técnico. //slideshow = new SlideShow();slideshow.init();

Fonte: JC Online

BRASIL , PAIZINHO DE MERDA, DE FROUXAS, CRIMINOSOS, POVO SEM VERGONHA , COMO É QUE PODE A SOCIDADE DEIXAR EXISTIR UMA LEI DESSAS, JUIZ NÃO É DEUS, ALGUEM TEM QUE FAZER ALGUMA COISA PARA ESSE CANALHA PAGAR PELO QUE FEZ E RETIRAR ESSE PROCESSO QUE SÓ UM SAFADO DESCARADO,DESSES, FAZ RINDO DO VITIMA E DA NOSSA CARA !!!!!

CPI PARA A PETROBRAS TEM ATÉ BARRACO, LULA QUER IMPIDIR A QUALQUER CUSTO, E UM SER HUMANO, UMA CRIANÇA BRASILEIRA NÃO SIGNIFICA NADA , NÃO TEM UM VEREADOR, UM POLITICOZINHO QUALQUER PARA FAZER ALGO POR ESSE E TANTOS OUTROS CASOS, QUANDO É DO INTERESSE DOS POLITICOS, ELES SE REUNIEM AS ESCONDIDADAS DE MADRUGADA PAR VOTAR EM AUMENTO DE SALARIO E ETC.., FAÇAM ALGO SÉRIO CONTRA A PEDOFILIA , SEJAM HOMENS

ESSES CRIANÇAS CRESCEM, QUANDO SOBREVIVEM , E SE TORNAM ELEITORES, SERA QUE AGORA VC POLITICO SE INTERESSOU????????

Advertisements

No Responses to “Joanna Maranhão: vítima no banco dos réus”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: