México pode paralisar Distrito Federal

Chefe do governo do Distrito Federal do México, Marcelo Ebrard, afirmou que autoridades estudam a possibilidade de paralisar todas as atividades da capital se a epidemia de gripe suína não retroceder
Cláudia Daré, da Cidade do México

AP Photo

EPIDEMIA
Para se proteger da gripe porcina, mexicanos usam máscaras em prédios públicos da Cidade do México

Em entrevista radiofônica agora a pouco ao Grupo Imagem, o chefe do governo do Distrito Federal do México, Marcelo Ebrard, afirmou que autoridades governamentais estudam a possibilidade de paralisar todas as atividades da Cidade do México, incluindo o sistema de transporte público e empresas, se a epidemia de gripe suína não retroceder.

“Se até 6 de maio suspendermos todas as atividades que pudermos, me parece que vamos salvar vidas e reduzir a propagação do vírus. Não vejo um argumento para não fazê-lo”, afirmou Ebrard que ainda revelou a existência de um “plano B” no caso de que a emergência sanitária não gere os resultados esperados até o próximo dia 6. O chefe do governo vai se reunir na tarde deste domingo (26) com setores econômicos da cidade para determinar medidas preventivas nas empresas, que vão desde entrega de máscaras cirúrgicas até possíveis interrupções de atividades.

Nesta manhã, as autoridades locais relataram a morte de mais cinco pessoas, elevando a 15 o número de mortos no Distrito Federal. Ebrard também anuciou a suspensão das atividades no Tribunal Superior de Justiça da capital, da Junta de Conciliação e Arbitragem e dos zoológicos de Chapultepec e San Juan de Aragón, localizados na cidade asteca.

Vacinação em massa é suspensa por ordem da OMS

O presidente do México, Felipe Calderón, assinou no sábado (25) um decreto de emergência contra a epidemia de gripe suína que a cada dia faz mais vítimas no país. O decreto autoriza a Secretaria de Saúde Federal a regular trânsito terrestre, marítimo e aéreo, utilizar recursos da saúde, médicos e de assistência social dos setores público, social e privado para coordenar, prevenir, controlar e combater a transmissão do vírus. Também poderá entrar em casas, isolar pessoas e dispor de hospitais privados.

Por recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) o governo da Cidade do México interrompeu a campanha de vacinação em massa contra a gripe. Segundo a OMS, a vacina não detém o surto epidemiológico do novo vírus que assola a capital federal e várias outras regiões mexicanas.

Segundo informações divulgadas pela OMS, o vírus é uma variante da linhagem H1N1 e se trata de uma mutação nunca antes vista. O resultado é uma miscigenação de genes de um vírus de gripe de porcos e de outro que afeta a seres humanos. Por isso, a vacina só atacaria parte do que provoca a doença.

A epidemia que já requer a máxima atenção da OMS fez 81 mortes no país e infectou a mais de 1300 pessoas até agora. Na Baixa Califórnia, o governo decretou um alerta preventivo depois de registrar 25 casos da doença e duas mortes. Nos Estados Unidos já foram confirmados 11 casos da doença, localizados nos estados do Texas, Califórnia e Kansas. Nova York também está em alerta com a possibilidade de oito alunos de uma escola do bairro de Queens estarem infectados, depois de terem passado uma semana no país vizinho.

No Instituto Nacional de Doenças Respiratórias na Cidade do México, já faleceram 15 pessoas nos últimos dias. A última morte foi registrada na manhã de sábado. Em uma rápida coletiva de imprensa, o diretor do hospital, Mondragón Armijo, afirmou que os pacientes internados tem o vírus H1N1, mas que ainda não está diagnosticada a gripe suína. Permanecem internados 24 pacientes, dez deles em estado grave que utilizam aparelhos de respiração mecânica. O hospital está sendo vigiado por policiais armados e o acesso só é permitido ao doente e a um acompanhante.

Em coletiva de imprensa, o secretário de Saúde, José Angel Córdova descartou a presença do vírus em todo o território nacional e assegurou que apenas 17 dos 31 Estados registraram casos da doença. Segundo o secretário de Saúde do Distrito Federal, Armando Ahued, dezenas de hospitais administrados pelo governo permanecerão abertos para atender a população. A medida também foi tomada em outras regiões do país para que pessoas com suspeita de gripe possam ser atendidas quando apresentem os primeiras sintomas, o que diminui o risco de morte.

Controle

AP Photo

SEGURANÇA
Policiais vestes máscas para fazer a segurança da entrada do Hospital Geral da Cidade do México. Na tentativa de conter o surto de gripe, foram proibidas as visitas aos doentes

Os espaços públicos na capital do país e no Estado do México como escolas, museus, teatros e cinemas devem permanecer fechados até dia 6 de maio. A ordem inclui o Estado de São Luis Patosi, onde mais de 60 pessoas estão contaminadas, 45 na só capital de mesmo nome e que fica a 360 quilômetros do Distrito Federal. Cinco pessoas já morreram.

Neste fim de semana, os jogos de futebol foram realizados sem público e mais de 500 atividades culturais foram suspensas. Bares e restaurantes também não abriram. Autoridades do Distrito Federal e dos 16 estados em alerta realizaram operações noturnas para fechar estabelecimentos que ainda permaneciam abertos. Até as missas foram canceladas em todo o Vale do México. Em outras regiões a Igreja recebeu orientação para abreviá-las e entregar hóstia somente nas mãos dos fiéis.

Entre as iniciativas coordenadas pelo Governo para evitar a propagação da epidemia, estão as informações disponibilizadas no site da secretaria de Saúde, com orientações gerais e locais de atendimento a possíveis pacientes.

Desde sábado o Exército e a Marinha distribuem dois milhões de máscaras cirúrgicas para a população da capital e em outros municípios do seu entorno. Postos de saúde em várias regiões do país relataram procura em massa da população que está assustada com a propagação do vírus e busca orientação.

O mundo em alerta

Na Guatemala, Estados Unidos e Belize, países que fazem fronteira com o México, as autoridades locais reforçaram a vigilância sanitária para evitar a propagação da doença. O governo da Guatemala anunciou que analisa estabelecer um cerco sanitário para o controle de pessoas doentes.

Autoridades dos Estados Unidos, Canadá, Espanha e França recomendaram à população aumentar as precauções em caso de visita ao México e deram orientações para evitar o contágio da gripe. A Organização das Nações Unidas também lançou uma série de advertências aos diplomatas que trabalham no país.

Segundo jornais locais, um tripulante da Britsh Airways de um vôo procedente do México foi levado ao hospital depois de desenvolver sintomas de gripe. Os resultados dos exames deverão ser conhecidos ainda hoje. Há outros casos em observação na Europa, três na Espanha e um em Israel.

AP Photo

PROTEÇÃO
Aglomerações, como os vagões do metrô, oferecem risco para a população, que tenta se proteger como pode
Advertisements

No Responses to “México pode paralisar Distrito Federal”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: